Quero fazer parte da Casa

Guia de orientações sobre à Casa da Vovó Joaquina

 

Caro amigo(a),

 

Este texto serve de referência para as pessoas interessadas em fazer parte do corpo deste Centro Espírita. Solicita-se sua leitura em momento tranquilo, oportunizando reflexões sobre o trabalho desenvolvido na Casa e o interesse em integrá-lo.

 

O Casa Fraternidade Socorrista Mãe Iemanjá e Vovó Joaquina tem por foco o desenvolvimento da Umbanda, convivendo harmoniosamente com outros segmentos de fé. Além disso, considerando que a dirigente do Centro possui obrigações no Candomblé, existe influência dessa vertente na condução do Centro, sendo sua energia muito bem-vinda.

 

O Centro tem como dirigente a Mãe Flávia de Iemanjá e mentora, que é a Vovó Joaquina, da linha dos Pretos Velhos.

 

Compor uma Casa Espírita exige dedicação, respeito e disciplina. A Casa funciona normalmente observando a seguinte rotina:

 

- às quartas-feiras, no horário das 20:30 às 22:30, exceto na última quarta-feira do mês, que é reservada ao estudo interno (doutrina);

 

- aos sábados de 15 em 15 dias, em sessões de Umbanda, seguindo as linha de Preto-Velho, Erê, Caboclo, Boiadeiro, Légua, Exu, Pombo-gira, Malandros e Marinheiros.

 

 

Conheça a página da Casa na Internet: www.casavovojoaquina.com.br.

Sobre as palavras dedicação, respeito e disciplina, precisamos acrescentar informações para sua melhor compreensão.

 

I – DEDICAÇÃO:

De nossa parte existe o entendimento que não há resultado sem trabalho, sem esforço, sem abnegação, sem resignação. Observe o que você pretende se tornar ou deseja antes de decidir por assumir um compromisso com a espiritualidade, principalmente a sua. Você fará parte de uma corrente. Sua ausência será sentida, principalmente quando não houver motivo que a justifique. Portanto, nesse ponto, o termo DEDICAÇÃO se alinha às expressões RESPEITO e DISCIPLINA.

Considera-se obrigatória a presença dos integrantes da Casa nas atividades normais acima já apresentadas. Além dessas, eventualmente sua presença também será requisitada, ora voluntariamente ou necessariamente para compor algum trabalho.

A Casa não desenvolve trabalhos voltados a solução de problemas amorosos (amarrações por exemplo) ou que se aproximem de atitudes de vingança. O foco são as necessidades de saúde, espirituais e o bem estar das pessoas.

Para uma sessão ocorrer todos os filhos da Casa trabalham antes, durante e depois. Sempre existe espaço para mais um contribuir.

Limpamos o barracão, lavamos banheiros, cozinhamos e lavamos panelas, apenas para ilustrar o pouco ou quanto de trabalho realizamos, isso, sem contar com a gira em si, normalmente, com muito cuidado preparada e desenvolvida, no intuito de que a espiritualidade alcance seus objetivos e acolha os que aqui procuram.

Normalmente começamos a preparar a gira aos sábados a partir das 14h e deixamos tudo limpo ao final das sessões, que tem ocorrido de madrugada. Os filhos da Casa são divididos em tarefas, de maneira que haja equilíbrio no esforço e seja possível atender a situações especiais. 

Compreendeu a necessidade de se dedicar?

As informações acima foram breves, na realidade, o peso que a dedicação exige será tão leve quanto a sua vontade em se desenvolver e se entregar à causa, que pode ser mais sua do que da Casa

 

II – RESPEITO:

A palavra pode se aplicar a diversos entendimentos. Em síntese, a mensagem de respeito alcança sentido em relação à Casa Espírita, à espiritualidade, composta pelos Orixás e entidades de Umbanda, aos irmãos que chegaram antes que você, à dirigente e por fim, o respeito para com aqueles que visitam à Casa pela fé, pessoas as quais devemos acolher com fraternidade e carinho.

Um Centro Espírita é um ambiente de socorro às inquietudes do corpo e da alma. Um espaço de crescimento, de recepção e de entrega. É chão sagrado, preparado para a livre atuação da espiritualidade

 

III – DISCIPLINA:

A disciplina se relaciona diretamente com o bom andamento de qualquer organização. No nosso caso não é diferente. O Centro possui regras e doutrinas que devem ser observadas por todos. Havendo dúvida questione, pergunte. Observe as providências, busque o aprendizado, procure ser útil, aproveite as oportunidades para auxiliar.

A Casa observa a hierarquia, sem a falta de respeito. A corrente é formada dessa maneira, do primeiro ao último que chegou, sem que isso signifique superioridade ou inferioridade.

 

IV – OUTRAS INFORMAÇÕES RELEVANTES:

 

a) AMACI: trata-se de ritual da Umbanda, representado pelas forças da natureza, por meio das ervas. O ingresso na Casa passa necessariamente pelo AMACI, que é realizado de três em três meses. A entrada na Casa sem passar pelo ritual nesse período normal só ocorre em casos de necessidade e por decisão da Vovó Joaquina. A dirigente no momento oportuno passará informações sobre esse processo;

 

b) ANTES DO AMACI: avalia-se de extrema importância o pretendente a ingressar na Casa amadurecer a sua decisão. Em que pese, por vezes, essa decisão transcender à pessoa, devido à influência da espiritualidade. As informações ora escritas servem para reflexão e definição interna sobre essa decisão tão significativa em nossas vidas, pois uma vez Umbanda, Umbanda para sempre. Frequente às sessões anteriores a sua entrada e avalie cada ponto positivo e negativo, segundo a sua visão e modo de vida, que será transformado após a sua decisão.

 

c) MENSALIDADE: a Casa se mantém materialmente com recursos da dirigente e a partir das da mensalidade exigida de todos os filhos, exceto das crianças, dos adolescentes. O valor atual é de R$ 60,00 (sessenta reais) e deve ser quitado até o dia 10 de cada mês. Não sendo possível o atendimento da mensalidade o filho da Casa deve manifestar-se particularmente com a dirigente. Oportunamente maiores detalhes a respeito dessa necessidade serão transmitidos.

 

Outra informação importante se refere a necessidade dos médiuns providenciarem todos os itens de uso e roupas de suas entidades.

 

Nas sessões de Umbanda aos sábados todos os filhos também contribuem com R$ 40,00 (quarenta reais) mensalmente, para o jantar que é servido.

 

d) PRIMEIRAS PROVIDÊNCIAS AO INGRESSAR NA CASA:

 

 I. Providenciar com a Mãe de Santo a guia de Oxalá;

 II.Providenciar roupas de ração e brancas para uso nas sessões;

III. Providenciar a guia para uso nas sessões de quarta-feira;

IV. Observe o grupo que já se encontra na Casa. Busque adaptar-se. Não é o grupo que deve se amoldar ao seu modo de ser;

V. O convívio fraterno entre os integrantes da Casa é fundamental;

VI. Abstenha-se de críticas e envolver-se em fofocas;

VII. Procure ser útil e aprender. É livre o questionamento;

VIII. Procure conhecer os fundamentos da Casa, quem são os Orixás regentes e as entidades de Mãe de Santo e em sequência dos filhos da Casa;

IX. O que se passa na Casa aqui deve ficar. Não há segredos a guardar, mas devemos ser cuidadosos com o que falamos, sob pena de cometermos equívocos ou erros que o silêncio evitaria isso acontecer. Olhe sempre o Macaco que existe no barracão e vai entender essa mensagem.

 

 Brasília (DF), em 11 de maio de 2016.

 

 

Contato

Fraternidade Socorrista Mãe Iemanjá e Vovó Joaquina SMPW QD 5 Conjunto 6 Chácara 8 - Park Way / Brasília - DF

Ponto de referência: próximo à Águas Claras
Whatsapp (61) 98475-8580 contato@casavovojoaquina.com.br